Santuário Diocesano de Nossa Senhora Aparecida

PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO - PONTA GROSSA PR

O Santuário

TAMANHO DA FONTE:




Para falarmos do Santuário Diocesano de Nossa Senhora Aparecida na diocese de Ponta Grossa temos que citar o SANTUÁRIO NACIONAL do qual somos “um filho” não poderíamos deixar de citar o “grande milagre” da pesca da imagem da Imaculada.


A PESCA DA IMAGEM E O INICIO DA DEVOÇÃO


A história de Nossa Senhora da Conceição Aparecida tem seu início pelos meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, D.


Pedro de Almeida e Portugal, Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela Vila de Guaratinguetá, a caminho de Vila Rica, hoje cidade de Ouro Preto – MG. Convocado pela Câmara de Guaratinguetá, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves saíram a procura de peixes no Rio Paraíba.


Desceram o rio e nada conseguiram. Depois de muitas tentativas sem sucesso, chegaram ao Porto Itaguaçu. João Alves lançou a rede nas águas e apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora da Conceição sem a cabeça. Lançou novamente a rede e apanhou a cabeça da mesma imagem. Daí em diante os peixes chegaram em abundância para os três humildes pescadores.


Durante 15 anos seguidos a imagem ficou com a família de Filipe Pedroso, que a levou para casa, onde as pessoas da vizinhança se reuniam para rezar. A devoção foi crescendo no meio do povo e muitas graças foram alcançadas por aqueles que rezavam diante da imagem. A fama das graças extraordinárias de Nossa Senhora foi se espalhando pelas regiões do Brasil.


A família construiu um oratório, que logo se tornou pequeno. Por volta de 1734, o vigário de Guaratinguetá construiu uma Capela no alto do Morro dos Coqueiros, aberta à visitação pública em 26 de julho de 1745. Mas o número de fiéis aumentava, e em 1834 foi iniciada a construção de uma igreja maior (atual Basílica Velha). No ano de 1894, chegou a Aparecida um grupo de padres e irmãos da Congregação dos Missionários Redentoristas, para trabalhar no atendimento aos romeiros que acorriam aos pés da Virgem Maria para rezar com a Senhora “Aparecida” das águas. A 8 de setembro de 1904, a Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi coroada, solenemente, por D. José Camargo Barros.


O nascimento do SANTUÁRIO NACIONAL DE APARECIDA


No dia 29 de Abril de 1908, a igreja recebeu o título de Basílica Menor. Vinte anos depois, a 17 de dezembro de 1928, a vila que se formara ao redor da igreja no alto do Morro dos Coqueiros tornou-se município. E, em 1929, Nossa Senhora foi proclamada Rainha do Brasil, e sua Padroeira oficial, por determinação do Papa Pio XI.


Com o passar do tempo a devoção a Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi crescendo e o número de romeiros foi aumentando cada vez mais. A primeira Basílica tornou-se pequena.


Era necessária a construção de outro templo, bem maior, que pudesse acomodar tantos romeiros. Por iniciativa dos missionários Redentoristas e dos Senhores Bispos, teve início em 11 de Novembro de 1955 a construção de outra igreja, atual Basílica Nova. Em 1980, ainda em construção, foi consagrada pelo Papa João Paulo II e recebeu o título de Basílica Menor.


Em 1984, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) declarou oficialmente a Basílica de Aparecida: Santuário Nacional – o “maior Santuário Mariano do mundo”.

PATROCINADORES / APOIO Rodoponta Primotos multimarcas Nunes usinagem industrial

EXPEDIENTE:

Coordenação Geral - Reitor do Santuário - Pe Sandro Maciel Cândido Ferreira
Planejamento e criação - Antonio Ribas
Administração de Conteúdo - Equipe da Pastoral do Santuário
Secretária - Margarete Cândido Ferreira

Contatos:

(42) 3227-1013

atendimento@santuariopg.com.br